Jardim Nicéia continua sem unidade de saúde

Moradores contam que o atendimento melhorou em Bauru, mas os postos ainda ficam muito longe do bairro

Adriana Carrer
Camila Gabrielle
Flávia Simão
Mariana Caires
Mariana Soares

Problemas de saúde acontecem com qualquer um, só que, para alguns, cuidar deles pode dar mais dor de cabeça ainda. No caso do Nicéia, a oferta dos serviços de saúde pública está longe de ser a ideal para os moradores. Para conseguir um atendimento médico, gasta-se mais de meia hora caminhando até o Posto de Saúde do Jardim Europa, ou até a Unidade de Pronto Atendimento do Geisel. Uma terceira opção é atravessar a cidade rumo ao Hospital de Base.

Para chegar ao Posto de Saúde do Jardim Europa, Dona Cleuza conta que precisa pegar dois ônibus ou caminhar cerca de 50 minutos por uma passarela que não oferece segurança. De acordo com Audren Victorio, assessora de imprensa da Secretaria de Saúde de Bauru, a distância de 1,5 km entre esse posto e o bairro “permite que se acesse a unidade a pé. No caso de transporte com necessidades especiais, estes podem ser requisitados na própria unidade”.

“Para chegar andando, quem é do Nicéia tem que atravessar a rodovia e fazer uma boa caminhada no meio de mato pra chegar à avenida Nossa Senhora de Fátima, para depois conseguir descer até o Posto”, conta Maria de Lurdes Cândido, moradora da rua 3 e que hoje já tem condições de ir de carro ao Hospital de Base. “Mas imagina, semana passada, uma moça grávida e com trombose estava voltando a pé nesse sol”, comenta a moradora, que ofereceu carona para a gestante.

Quem marca o primeiro horário de consulta tem que sair do bairro enquanto ainda está escuro e às 5 horas da manhã já se forma uma fila em frente ao Posto do Jardim Europa. Uma alternativa para chegar até o local seria o ônibus, mas são dois pra ir e mais dois pra voltar: “tem que pegar um até o centro e um de lá pra cá, mas quem pode gastar tanto num dia para ir ao médico?”, pergunta Maria de Lurdes.

No dia 10 de agosto, a moradora levou a sua filha em uma consulta com a nutricionista e estava satisfeita. Maria de Lurdes acredita que, muitas pessoas que poderiam procurar o posto, não o fazem devido à distância. “Se tivesse pelo menos uma dessas médicas com várias especializações lá no bairro, uma vez por semana, mais gente ia cuidar da saúde”, finaliza.

Segundo Audren, apesar das Unidades de Pronto Atendimento (UPA) serem “aparelhos de saúde que todo mundo deseja, só é permitida sua instalação em contingentes populacionais acima de 50.000 habitantes”. Por isso, seria impossível uma UPA no Nicéia. A Secretaria afirma estar ciente da situação e, assim que possível, poderá implantar uma Unidade de Saúde no bairro.

Núcleo do Jardim Europa

Segundo dona Cleuza, moradora da rua 4, o atendimento no Posto Jardim Europa melhorou: “não temos mais que madrugar para pegar fila e torcer para ser um dos dez primeiros consultados”. Agora, pode-se ligar para agendar atendimento. Entretanto, quem precisar ir sem agendar, ainda tem que madrugar e chegar na fila cedo.

FOTO 1 - “se tivesse uma UPA mais próxima, ia ser mais fácil para os moradores do bairro chegarem lá local para serem atendidos”, conta Dona Cleuza - Mariana Soares.png

“Se tivesse uma UPA mais próxima, seria mais fácil para os moradores do bairro chegarem lá”, conta Dona Cleuza

 

Nesse Posto de Saúde, os moradores do Nicéia são atendidos apenas por uma médica, que veio de Cuba pelo programa Mais Médicos. Alguns moradores reclamam do procedimento, por impedir o contato com outros médicos. Porém, para Audren, ter acesso a outros médicos não seria positivo. “Uma noção fundamental é a da continuidade do acompanhamento e, para que isso ocorra, é importante o atendimento por um único profissional”, explica.

A médica responsável pelos atendimentos é Ginecologista, Clínica Geral e Pediatra. Pacientes com problemas cardíacos ou hipertensos são atendidos mensalmente. Apesar da consulta ser rápida, alguns reclamam que exames ortopédicos, cardíacos e de raio-x demoram muito para serem realizados.

Dona Nadir dos Santos, moradora do Jardim Nicéia, conta que na UPA do Geisel o atendimento rápido e eficiente. Mas, segundo ela, no Hospital de Base demora muito. É preciso pegar dois ônibus para chegar a esses locais. Em casos graves, o aconselhável é acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU): “além de atender as chamadas, chega no bairro em cerca de dez minutos”, conta Jane, moradora do Nicéia.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s