Jardim Nicéia agora nas telonas

Filme de alunos da Unesp é gravado no bairro com apoio da comunidade

Carol Seiko
Vítor Moura

Partindo da idéia dos alunos do curso de Rádio e TV da Unesp, João Guilherme Perussi e Alexandre Borges, o média metragem (nome utilizado para filme com até 60 minutos) “Abel contra o muro” conta a história do jovem Abel. Aos 16 anos, o rapaz nunca havia saído de casa, pois era mantido preso por sua tia. Seu único contato com o mundo acontecia através de um pequeno buraco no muro de casa e por meio dos livros que lia.Um dia, porém, uma bolinha cai em seu quintal. A bola era da jovem Lucinha e de seu amigo Bruno que convidam Abel a conhecer o mundo lá fora. O jovem se apaixona por Lucinha. Ele então descobre que a moça sofre maus tratos dentro de casa e traça um plano para tirá-la dessa situação.

As gravações aconteceram no Jardim Nicéia durante o mês de Julho e contaram com a participação dos moradores da comunidade. Foram ao todo 28 dias de filmagem com cerca de 70 figurantes e mais 20 pessoas ajudando na produção. João Guilherme Perussi, responsável pela produção, comentou a recepção dos moradores durante as gravações. “Estavam todos sempre dispostos a nos ajudar, a experiência foi incrível. A participação das crianças também foi demais, sempre curiosas”, contou.

Equipe de produção posa para fotos com crianças após a exibição do filme. Foto: Carol Seiko

O diretor e roteirista, Alexandre Borges, disse que começou a se interessar pelo bairro por fazer parte do Observatório de Estudos dos Direitos Humanos da Unesp, e após realizar um trabalho no Nicéia, a ideia do filme surgiu, já com o pensamento de gravar tudo no próprio bairro. O filme foi exibido para a comunidade no último feriado de sete de setembro. “Hoje foi o primeiro dia que eu consegui assistir o filme virado para trás, olhando a reação do público, eles riam nos momentos em que se reconheciam na tela, reconheciam locais do bairro, concentrados mesmo, rindo, comentando. Fiquei muito feliz com a quantidade de pessoas que vieram e a recepção”, disse Alexandre.

Johnny Moreira, que participou do filme. Foto: Carol Seiko

Um dos participantes do filme do próprio bairro, Johnny de Andrade Moreira, de 15 anos, conta como entrou para o filme. “Eu estava na rua, assistindo a gravação, daí me chamaram para fazer”. Johnny disse que apesar de ter que repetir algumas cenas, a gravação foi rápida. Ele disse ainda que as pessoas do bairro ficaram contentes com o filme. Johnny mora há aproximadamente 12 anos em Bauru, e para ele, a gravação do filme no bairro afetou mais as crianças, que  compareceram em peso no campinho onde o média metragem foi exibido. “Traz motivação para as crianças, para as mães não prenderem os filhos dentro de casa, soltar para brincar e ir para a escola” finalizou Johnny.

“Abel contra o Muro” entra agora em turnê pelo estado de São Paulo, através da parceria com o Circuito Fora do Eixo e com o Clube de Cinema Fora do Eixo. O curta também será distribuído pela internet, no site da distribuidora de filmes online, a DF5. 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s